Imagem capa - BIOGRAFIA ALBERTO PINTO ALVES por Foto Arte
Biografias

BIOGRAFIA ALBERTO PINTO ALVES


Alberto Pinto Alves,

       Nasceu a 18 de fevereiro de 1956, filho  de pais emigrantes, que derivado às dificul-dades da época foi deixado aos cuidados de uns tios cá em Portugal. Frequentou o ensino escolar até completar a 4º classe na aldeia de São Pedro Velho.

       Aos 10 anos de idade rumou à cidade de Chaves onde conseguiu arranjar o seu primeiro “emprego”, ajudante de mecânico, “profissão” essa que não lhe despertou qualquer gosto ou interesse. 

       Passado 6 meses conheceu o Srº Luis, proprietário da conhecida Foto Alves em Chaves, fotógrafo de qualidade e bastante conhecido nessa época, que o convidou a ir trabalhar com ele como seu ajudante. Foi aí que começou a sua grande paixão pela arte de fotografar.

       Durante algum tempo aprendeu técnicas de fotografar, enquadramento de fotografias, iluminação e revelação das mesmas.

       Mas chegou o tempo de querer saber mais, querer aprender mais, o “bichinho” pela fotografia era grande e então rumou à Foto Riviera, localizada também em Chaves. Com a Dª Matilde e o Srº João Lopes, proprietários do estúdio e grandes profissionais, conseguiu os seus objetivos.

       Até ao dia, que o Srº João Lopes juntamente com o Srº Manuel Correia (seu colega na Foto Riviera) abrem um novo estúdio/loja de fotografia, Foto Lopes. Durante uns meses trabalhou durante o dia na Foto Riviera e à noite na Foto Lopes.  Findo esses meses ficou a trabalhar definitivamente na Foto Lopes com a certeza que iria aprender mais, crescer como profissional. Esta passou a ser a sua “casa” durante 13 anos. Nesses anos todos, fez um pouco de tudo dentro da área da fotografia, tirar fotos para documentos, fotos de família, fotografar casamentos, batizados, comunhões; revelar, retocar e imprimir fotos, atendimento ao balcão...


     

       Chegado o ano de 1979, casou. A sua esposa Mª de Lurdes, sempre o incentivou a realizar o seu grande sonho, sonho esse que era abrir o seu próprio estúdio de fotografia. Com o início de vida em comum e o nascimento do filho (que viria a ser braço direito do pai nos negócios), atrasaram um pouco os seus planos, mas eis que chega 1982, mais precisamente 1 de julho de 1982, o sonho finalmente torna-se realidade e ele abre então o seu 1º estúdio de fotografia, o tão desejado estúdio, FOTO ARTE, na vila de Valpaços, hoje cidade.

       Aos poucos foi demonstrando o seu trabalho e foi ganhando a confiança das pessoas das terras valpacenses e arredores, sendo reconhecido pelo seu trabalho no concelho e fora dele.

       Com dedicação e muito trabalho em 1987, abre o seu 2º estúdio em terras de Montenegro, mais precisamente na vila de Carrazedo de Montenegro.

       Já nessa época era apoiado por uma equipe de excelentes colaboradores, jovens da terra, dinâmicos, que aprenderam com o “mestre Alberto  Pinto Alves” a ganhar amor, paixão e dedicação à arte de fotografar.

       Os anos vão passando e vendo que o mercado continuava a acreditar nele, abre um 3º estúdio em 1992. Nesse ano teve de investir bastante dinheiro, adquiriu um laboratório profissional para impressão de fotos, equipamentos do melhor para fotografar e filmar... pois as tecnologias iam avançando e a Foto Arte sempre caminhou lado a lado com a evolução dos tempos. Comparência em  acções de formação individual, mas principalmente para todos os membros da equipe eram e continuam a ser uma prioridade, para poder “dar” aos seus clientes uma diversidade de opções tanto a nível da fotografia como de vídeo.

       Apesar da grande evolução no “mundo da fotografia” e das dificuldades sociais que assolaram o país e que ainda nos tempos de hoje se vive, a Foto Arte manteve sempre o foco em primar pelo profissionalismo e pela qualidade dos seus produtos.

       Devido a alguns problemas de saúde, o avançar da idade e o aparecimento da era digital, Alberto Pinto Alves, vai-se afastando aos poucos dos estúdios, deixando o seu filho Carlos no “comando das tropas”, dando sempre a sua opinião e parecer. Como diz o ditado “Se queres um bom concelho, pede-o ao mais velho”.